24

Dec 7, 2011
Decidi há pouco começar a contar os segundos, que é pra não sobrar espaço pra mais nada no meu dia. Não ouso dizer seu nome em voz alta. Abri a janela pra deixar tímidos raios de sol passarem por mim, fico sentado aqui digitando nessas teclas brancas. Branco. Foi assim que me senti naquele dia, como se tudo que já tivesse escrito de nada valesse, você me rasurou... apagou tudo que eu já sabia e aniquilou toda e qualquer concepção de felicidade pré-concebida por exposições precoces à comédias românticas. Fico esperando o resto do script acontecer, será possível existir final tão súbito como o do nosso filme? Your words won't last forever.

1 comment:

  1. Dói, não é? Digo, dói quando alguém vem e apaga nossos escritos, carrega consigo nossas páginas. Deixa a gente meio sem saber se o começo era como lembrávamos ou como, outrora, havíamos escrito.
    Bom mesmo é que, por ironia, existem clichês. Porque sempre é possível entregar-se às páginas brancas e puras e escrever um final diferente.

    ReplyDelete